Última hora

Última hora

Delegação do Parlamento Europeu proibida de entrar na Venezuela

Delegação do Parlamento Europeu proibida de entrar na Venezuela
Tamanho do texto Aa Aa

Uma delegação do Parlamento Europeu (PE), que tinha sido convidada pela Assembleia Nacional venezuelana (AN) a visitar a Venezuela, foi no domingo impedida de entrar no país e obrigada a apanhar um voo de regresso a Madrid.

Os eurodeputados tinham chegado ao Aeroporto Internacional Simón Bolívar de Maiquetía, no norte de Caracas, quando receberam ordens para abandonar solo venezuelano e regressar a Madrid.

"Neste momento estamos a ser expulso da Venezuela, os nossos passaportes form apreendidos. Não fomos informados da razão para sermos expulsos e não temos também qualquer documento que o justifique, porque eles atiraram-nos para fora do país. Viemos à Venezuela com um convite da Assembleia Nacional, um organismo reconhecido internacionalmente, mesmo pelo presidente Nicolás Maduro. É um organismo constitucional e eles não nos deixaram entrar", afirmou Esteban Gonzalez Pons, vice-presidente do Partido Popular Europeu, secundado nas críticas pelo autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó.

Para o eurodeputado espanhol, a proibição visa "não deixar Juan Guaidó ver qualquer personalidade de fora da Venezuela", o que deixa Nicolás Maduro ainda mais isolado a nível internacional: "Quando um ditador fecha as janelas e apaga as luzes é quando passa das palavras à ação".

Numa outra mensagem, o deputado opositor venezuelano Francisco Sucre afirmou na rede social Twitter que esta é uma "nova amostra de que Nicolás Maduro é um tirano que pretende isolar a Venezuela do concerto das nações livres e que gera sofrimento no seu povo", que aguarda a chegada de ajuda humanitária internacional.

A delegação era composta pelos eurodeputados Esteban González Pons, José Ignácio Salafranca Sánchéz-Neyra e Juan Salafranca.

Dela fazia parte também o eurodeputado português Paulo Rangel, que acabou por perder o voo de ligação entre Madrid e Caracas.