Última hora

Última hora

Filme chinês e vestido maldito arrebatam Fantas 2019

Filme chinês e vestido maldito arrebatam Fantas 2019
Tamanho do texto Aa Aa

Quase a celebrar 40 anos de vida, aquele que é o mais histórico dos festivais de cinema em Portugal, o Fantasporto, esteve de volta, com uma seleção de filmes que reservaram, como tem sido tradição nos últimos anos, uma fatia importante ao cinema asiático e uma forte participação, igualmente, de países como a Hungria.

O primeiro prémio da secção fantástica foi para uma produção "made in China" e um dos primeiros filmes chineses de ficção científica. "Last Sunrise" tenta imaginar o que aconteceria se o sol, de repente, se apagasse. Os dois protagonistas têm de atravessar o país para poderem sobreviver.

"O desafio era fazer um filme de ficção científica em forma de filme de estrada, rodado em apenas 14 dias, com uma história centrada nas personagens. Viajámos 1600 quilómetros através da China, com temperaturas de 26 graus negativos. Conseguir este resultado foi muito duro para todas as pessoas envolvidas", contou à Euronews o realizador do filme, Wen Ren.

O britânico Anton Bitel, crítico de cinema e um dos membros do júri, resume a seleção deste ano: "Houve terror, houve ficção científica, muito cinema apocalíptico, filmes sobre paradoxos temporais e depois houve coisas muito estranhas, impossíveis de categorizar. Entre esses filmes, destaco "In Fabric", de Peter Strickland. É um filme sobre um vestido assombrado ou amaldiçoado, mas dizer só isso não é estar a fazer justiça a toda esta estrada de estranheza e de fetichismo pela qual o Peter Strickland nos leva".

"In Fabric" venceu o prémio especial do júri, depois de prémios e nomeações em pelo menos nove outros festivais. Deve chegar ao circuito comercial no verão.

Veja aqui toda a lista de premiados