Última hora
This content is not available in your region

Papa autoriza abertura de arquivos do tempo do Holocausto

Papa autoriza abertura de arquivos do tempo do Holocausto
Tamanho do texto Aa Aa

O Papa Francisco anunciou, esta segunda-feira, que autorizará a abertura dos arquivos do Vaticano durante o pontificado do papa Pio XII, altura da Segunda Guerra Mundial.

Após anos e anos de luta por parte da comunidade judaica, a igreja decide devendar o segredo e abrir os "cofres" informativos, mas só o fará no próximo ano.

Alguns judeus acusaram Pio XII, que esteve à frente da Igreja Católica de 1939 a 1958, de fechar os olhos ao Holocausto, não se mostrando contra de uma forma assertiva.

O Vaticano sempre defendeu que Pio XII trabalhou silenciosamente nos bastidores para salvar os judeus e para não piorar a situação para muitos, incluindo para católicos em partes da Europa ocupadas pelos nazis.

No discurso aos membros do Arquivo Secreto do Vaticano, a Papa Francisco disse que a Igreja "não tem medo da história", acrescentando que o legado de Pio XII tem sido tratado com "algum preconceito e exagero".

O Comité Americano de judeus (AJC), um dos maiores grupos da comunidade judaica do mundo, já reagiu.

"Por mais de 30 anos, o AJC pediu a total abertura dos Arquivos Secretos da Santa Sé do período da Segunda Guerra ", admitiu rabino David Rosen, da AJC.

Os arquivos serão abertos dia 2 de março de 2020.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.