Última hora

Última hora

Adeptos do Mundial da Rússia e migrantes ilegais

Adeptos do Mundial da Rússia e migrantes ilegais
Tamanho do texto Aa Aa

Conseguir um cartão de fã para o campeonato do mundo de futebol. Continuar na Rússia, pedir asilo ou tentar entrar num país da Europa. Este foi o plano de milhares de africanos que assistiram à competição nos estádios, em 2018. Mas passados sete meses do fim do campeonato, a maioria destes migrantes vive em situação precária e com as expetativas frustradas.

O cartão de fã do Mundial permitiu contornar a exigência de um visto. Mas agora, sete meses depois do fim do campeonato, o governo russo quer deportar até ao final de março todos os imigrantes ilegais.

Oleg Melnikov é o chefe da organização não-governamental “Alternativa”.

“A maioria dos migrantes tornou-se vítima de fraude. Há muitos nigerianos com estatuto de ilegal na Rússia e nas ruas e há também um elemento criminoso: organizações de bordéis e escravidão sexual."

A maioria dos adeptos estrangeiros que assistiu ao mundial voltou a casa mas milhares continuam no país. Segundo dados do Ministério do Interior de Moscovo em 31 de dezembro mais de 12 mil adeptos viviam ilegalmente na Rússia.