A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Dia Internacional da Mulher com protestos globais

Dia Internacional da Mulher com protestos globais
Direitos de autor
REUTERS/Susana Vera
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Dia Internacional da Mulher é assinalado esta sexta-feira, mas a véspera, 7 de Março, ficou marcada em Portugal como o primeiro dia de de luto nacional pelas vítimas da violência doméstica e o Parlamento fez um minuto de silêncio.

Em Espanha, centenas de manifestantes reuniram-se no centro de Madrid, às zero horas de sexta-feira, para dar início ao Dia Internacional da Mulher, marcado por uma greve geral de mulheres.

"A igualdade de género é essencial para a eficácia do trabalho, e não nos podemos dar ao luxo de perder o contributo de metade da população mundial. A participação igualitária das mulheres na força de trabalho libertaria milhares de milhões de dólares para o desenvolvimento global. Não podemos construir o futuro que queremos e alcançar os objetivos de desenvolvimento sustentável sem a plena participação das mulheres," declarou a Secretária-Geral Adjunta da ONU, Amina J. Mohammed.

Em Itália, uma exposição de roupa usada por vítimas de violação, que pode ser visitada no Tribunal de Milão, sinaliza o Dia Internacional da Mulher.

Em El Salvador, que tem uma das leis antiaborto mais restritivas do mundo, três mulheres condenadas a 30 anos de prisão por partos fora dos hospitais que resultaram na morte dos fetos foram libertadas na quinta-feira, depois de o Supremo Tribunal comutar as penas.

A luta para erradicar a violência doméstica e sexual, e por direitos como o aborto, são alguns dos temas que irão enquadrar as manifestações em todo o mundo.