Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Rússia reforça posição na Crimeia

Rússia reforça posição na Crimeia
Tamanho do texto Aa Aa

Esta segunda-feira foi dia de festa para a comunidade russa da Crimeia. Completam-se cinco anos desde a assinatura do tratado de adesão da Crimeia e Sevastopol à Federação Russa e a ocasião foi celebrada com uma visita de Vladimir Putin. O presidente russo inaugurou duas centrais elétricas que irão produzir 90% das necessidades energéticas da região.

A visita de Putin reforça as reivindicações territoriais da Rússia, no entanto a União Europeia continua a não reconhecer a soberania de Moscovo na Crimeia.

A chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, não deixa margem para dúvidas:

"Estamos completamente solidários com a Ucrânia. Apoiamos a sua soberania e integridade territorial, sublinhando a unidade Europeia e o compromisso de manter a Crimeia como uma prioridade na nossa agenda coletiva. Vamos manter a nossa política de não reconhecimento da anexação ilegal."

Uma posição com poucos ou nenhuns resultados práticos. A Rússia continua a controlar a região e tem feito um forte investimento em infraestruturas para reforçar a sua posição na península. Afinal de contas, para o Kremlin o assunto está fechado desde o referendo de 2014, contestado pela comunidade internacional, e que terminou com uma vitória esmagadora dos defensores da adesão à Federação Russa.