Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Rumo às Eleições Europeias Dia 2 - Setúbal

Rumo às Eleições Europeias Dia 2 - Setúbal
Tamanho do texto Aa Aa

Setúbal é a primeira paragem desta viagem que a Euronews está a fazer pelas estradas da Europa a dois meses das eleições europeias. Foi nesta cidade que as jornalistas Filipa Soares e Anelise Borges falaram com Jorge Brito, um estivador que esteve em greve no final do ano passado, a lutar por melhores condições de trabalho. Perguntámos-lhe também o que pensa da União Europeia.

Depois de quase 7 anos de precariedade, em que era contratado ao turno pela mesma empresa, Jorge assinou um contrato em dezembro.

Os estivadores precários representavam, antes da greve, cerca de 90% da mão-de-obra utilizada regularmente no porto de Setúbal. 56 trabalhadores precários foram integrados nos quadros, depois do protesto.

Mas o salário de Jorge continua a ser o mesmo: acima da média nacional, mas abaixo da média europeia.

"Temos todos a mesma moeda, mas em França o ordenado mínimo deles é superior à média do ordenado português. O mínimo. O que ninguém lá quer receber. É um grande desfasamento. É por aí que eu gostava que a Europa começasse a pensar. Se é uma verdadeira União, tem de se equiparar e quem diz ordenado, diz em tudo: no setor dos transportes, da saúde... Ter um modelo parecido para a Europa, ter um fundo monetário da Europa. Se é uma União, é uma União para tudo ou então não é uma união", diz-nos.