Última hora

Última hora

"Breves de Bruxelas": "Sophia", transportes, Brexit, Dăncilă

"Breves de Bruxelas": "Sophia", transportes, Brexit, Dăncilă
Direitos de autor
REUTERS
Tamanho do texto Aa Aa

Os dois navios de guerra da missão militar "Sophia", no mar Mediterrâneo, vão deixar o local a partir de 1 de abril, apesar de terem salvo 45 mil vidas, desde 2015, e darem apoio à guarda-costeira da Líbia.

Apenas aviões vão fazer vigilância para travar o tráfico de pessoas e o naufrágio daqueles que procuram refugio ou melhor vida na União Europeia.

Este é o tema de abertura do programa "Breves de Bruxelas", que passa em revista a atualidade europeia diária. Em destaque estão, também, as seguintes notícias:

  • Os trabalhadores do setor dos transportes escolheram Bruxelas para encerrar, quarta-feira, uma semana com mais de 100 ações de protesto, por toda a União Europeia, contra o chamado "dumping" social. O setor, que emprega dez milhões de pessoas na União, critica a deterioração das condições de trabalho, nomeadamente ao nível dos salários e beneficios de saúde e de seguridade social, precarização dos contratos, e pressão dos empregadores para ignorar as regras de descanso.
  • Os 72 eurodeputados britânicos deverão receber o salário de abril na íntegra, mesmo que o Brexit se confirme a 12 de abril. Essa é a data estabelecida pela União Europeia para a saída do Reino Unido, caso o acordo obtido pela primeira-ministra, Theresa May, não passe no Parlamento britânico.
  • A primeira-ministra da Roménia ficou alojada no hotel que pertence a Donald Trump, durante sua viagem a Washington (EUA), no passado fim de semana. Viorica Dăncilă desafiou, assim, as recomendações da União Europeia, de não recorrer a bens privados pertencentes a ocupantes de altos cargos públicos, como é o caso do Presidente norte-americano.