A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Nova Iorque impõe medidas de combate ao sarampo

Nova Iorque impõe medidas de combate ao sarampo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os casos de sarampo estão a aumentar um pouco por todo o mundo. Nova Iorque não é exceção e, como resposta, o condado de Rockland declarou estado de emergência: nos próximos 30 adias, as crianças não vacinadas deixam de poder frequentar espaços públicos, como escolas, ou centros comerciais. A medida pode estender-se até todas as crianças não vacinadas terem contraído sarampo, papeira, ou rubéola.

Numa declaração pública, o chefe do executivo do condado novaiorquino, Ed Day, alertou para o facto de que "este é o maior surto de sarampo nos Estados Unidos, desde que a doença foi oficialmente erradicada em 2000. Temos de fazer tudo ao nosso alcance para por fim a este surto e proteger a saúde daqueles que não podem ser vacinados por razões médicas e as crianças que ainda não podem ser vacinadas e também aqueles que estão em risco".

O caso de nova iorque é sintomático de uma tendência global.

Ucrânia, Filipinas e Brasil lideram uma lista de países, que, de acordo com a UNICEF, apresentaram o maior aumento de número de casos de sarampo em crianças, entre 2017 e 2018.

Ainda na Europa, França é o país que apresenta a mais baixa taxa de confiança na vacinação, o que se reflete na entrada do país para o top 10 mundial da propagação da doença.

O sarampo é uma das doenças infeciosas mais propensas a contágio. Nos casos mais graves, pode levar à morte. A vacinação é a principal medida preventiva contra a doença e em vários países, como Portugal, é gratuita.