Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Os jovens que estão a regressar a Espanha

Os jovens que estão a regressar a Espanha
Tamanho do texto Aa Aa

A nove semanas das eleições europeias, a Euronews continua a viajar por alguns Estados-membros, para ouvir os cidadãos. Em Córdova, instalámos o nosso sofá vermelho, para mais uma entrevista.

Cristina Giner: Espanha perdeu muitos dos seus jovens. Calcula-se que tenham saído cerca de 800 mil jovens do país com a crise económica. Hoje falámos com um deles. Silvia Arenas, que emigrou para a Austria em 2012 e agora conseguiu regressar a Espanha, porque encontrou um trabalho.

O que fazias na Áustria?

Silvia Arenas: Primeiro, comecei a trabalhar num restaurante de comida rápida. Como não falava alemão, comecei aí e estive assim vários meses, enquanto estudava alemão. Depois, encontrei trabalho numa expresa de importação - exportação, em que organizava as importações e as exportações para Espanha.

CG: O que te chocou mais quando regressaste? O país tinha-se recuperado?

SA: Eu não notei que o país se tenha recuperado e muito menos do ânimo das pessoas. Também não me parece que as pessoas se tenham recuperado.

CG: Quais são as principais diferenças que vês em relação a outros países da Europa? Entre a Áustria, onde viveste, e a Espanha? Em termos laborais, por exemplo?

SA: Em termos laborais, está tudo muito mais organizado e muito mais padronizado, pelo menos na empresa em que eu trabalhava. Uma pessoa sabia perfeitamente o que tinha de fazer e até onde tinha de ir. Faziam o seu trabalho, voltavam a casa e acabou-se. Aqui não, aqui tens que dar sempre um pouco mais.

CG: Podes contar-nos o que fazes aqui agora?

SA: Agora mesmo estou a trabalhar para uma empresa austríaca. O que fazemos é a venda de máquinas industriais. À parte disso, prestamos serviços técnicos de assistência às máquinas e também vendemos as peças necessárias quando há uma avaria. Também nos encarregamos do software dessa máquina. De isso me encarrego eu.

CG: Vais votar nas próximas eleições europeias?

SA: Sim, suponho que sim. Eu sempre que pude, votei sempre, incluindo quando estive no estrangeiro, também votei.

CG: Crês que a União Europeia nos pode ajudar em algo a construir o futuro de Espanha?

SA: Creio que sim, que a União Europeia deveria unir-nos como países e estarmos todos unidos em vez de estarmos mais separados. Cada país quer fazer as coisas por sua conta. Creio que se estamos todos unidos e nos ajudamos uns aos outros podemos ser mais fortes. Creio que necessitamos ajuda da Europa e a Europa também necessita de Espanha.

CG: Sentes-te europeia?

SA: Sim, sempre me senti europeia.