A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Caputová quer restabelecer a confiança na democracia

Caputová quer restabelecer a confiança na democracia
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A presidente eleita da Eslováquia, Zuzana Caputová, tinha dito que se ganhasse a eleição a sua tarefa principal seria restaurar a confiança dos cidadãos no estado de direito. Esta advogada, de 45 anos, decidiu candidatar-se à presidência após o assassinato do jornalista de investigação eslovaco Jan Kuciak.

O politólogo Zsolt Gál pensa que tem perfil para potenciar a mudança: "A esmagadora maioria das pessoas está contra o regime, por isso a eleição presidencial pode ser encarada como um referendo ao atual governo".

A nova presidente tem também o apoio da maioria da etnia húngara no país. Uma jovem desta etnia disse-nos: "Eu vim votar porque quero mudanças na Eslováquia",

Os poderes do presidente são bastante limitados na Eslováquia, o que restringe o cargo a deveres simbólicos, mas a nova presidente pode exercer influência pela escolha dos procuradores, ou nomeação do juizes para o Tribunal Constitucional .

O editor do jornal Új Szó, János Lajos, acredita que terá influência: "A eleição dos juizes para o Tribunal Constitucional está a ocorrer agora. Se demorar ainda até à tomada de posse em junho, ela pode ter ifluência".

Muitos acalentam a esperança de que Caputová mude o equilíbrio de forças políticas e trave as tendências populistas, apesar de a abstenção eleitoral ter batidos recordes, com apenas 41% dos eleitores eslovacos a acorrer às urnas.