Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Caputová quer restabelecer a confiança na democracia

Caputová quer restabelecer a confiança na democracia
Tamanho do texto Aa Aa

A presidente eleita da Eslováquia, Zuzana Caputová, tinha dito que se ganhasse a eleição a sua tarefa principal seria restaurar a confiança dos cidadãos no estado de direito. Esta advogada, de 45 anos, decidiu candidatar-se à presidência após o assassinato do jornalista de investigação eslovaco Jan Kuciak.

O politólogo Zsolt Gál pensa que tem perfil para potenciar a mudança: "A esmagadora maioria das pessoas está contra o regime, por isso a eleição presidencial pode ser encarada como um referendo ao atual governo".

A nova presidente tem também o apoio da maioria da etnia húngara no país. Uma jovem desta etnia disse-nos: "Eu vim votar porque quero mudanças na Eslováquia",

Os poderes do presidente são bastante limitados na Eslováquia, o que restringe o cargo a deveres simbólicos, mas a nova presidente pode exercer influência pela escolha dos procuradores, ou nomeação do juizes para o Tribunal Constitucional .

O editor do jornal Új Szó, János Lajos, acredita que terá influência: "A eleição dos juizes para o Tribunal Constitucional está a ocorrer agora. Se demorar ainda até à tomada de posse em junho, ela pode ter ifluência".

Muitos acalentam a esperança de que Caputová mude o equilíbrio de forças políticas e trave as tendências populistas, apesar de a abstenção eleitoral ter batidos recordes, com apenas 41% dos eleitores eslovacos a acorrer às urnas.