A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Resultado da oposição nas autárquicas abala presidente turco

Resultado da oposição nas autárquicas abala presidente turco
Direitos de autor
Reuters
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os resultados da oposição nas eleições autárquicas são um revés para o presidente turco. O principal partido da oposição - o CHP - ganhou a Câmara Municipal de Ancara e reivindica também a vitória em Istambul, duas cidades controladas pelo partido do presidente Recep Tayyip Erdogan há duas décadas.

Os dois partidos sabiam que estas eleições seriam bastantes disputadas devido a preocupações graves, nomeadamente acerca da economia do país.

Algumas pessoas leais ao presidente turco consideravam estas eleições uma questão de sobrevivência.

"Eu votei no partido AKP. Espero que tudo corra bem ao nosso país. Espero que Deus conserve Erdogan", diz uma aleitora.

"Votei no AKP pelo futuro da minha filha", justifica outro eleitor.

"Erdogan trouxe paz e felicidade ao nosso país. É, por isso, que apoiamos Erdogan", sublinha mais um apoiante do presidente da Turquia.

Com o país a atravessar uma crise económica pautada pela inflação e pelo desemprego, o partido de Erdogan tremeu nestas eleições

Naci Ozel, empregado num café, diz que a subida da inflação está a afetar a sua família: "Claro que me sinto mal. Toda a gente quer ter uma vida boa, mas não conseguimos por causa da economia" No final do trabalho, este trabalhador foi votar... no principal partido da oposição, por causa da situação económica do país.

A moeda turca caiu 30% no ano passado, depois de Erdogan se ter envolvido numa crise diplomática com os Estados Unidos. Os preços e o desemprego estão a subir.

Durante a campanha, o presidente turco acusou a oposição de terrorismo. "É uma acusação direta. A injustiça não é uma coisa nova, mas nesta eleição foram ultrapassados todos os limites", sublinha o jornalista Kemal Can.

Jornalistas locais criaram um centro para acompanhar alegadas irregularidades na votação. A oposição acusou a agência de notícias estatal de não estar a informar devidamente sobre o resultado das eleições autárquicas.