Última hora

Asilo de Julian Assange em risco

Asilo de Julian Assange em risco
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente do Equador diz que Julian Assange não está a respeitar os termos do acordo que permitem o asilo na embaixada de Londres em Quito. Durante a entrevista à Associação Equatoriana de Emissoras de Rádio, Lenin Moreno disse ainda que o fundador do WikiLeaks não pode intervir na política de outros países, especialmente aqueles que têm relações amigáveis com o Equador.

“O Sr. Assange violou repetidamente o acordo que fizemos com a equipa jurídica dele. Não é que não possa dizer o que pensa, não possa expressar-se livremente, mas não pode mentir. Ou pior ainda, hackear contas privadas ou telefones privados”.

Julian Assange afirma que o Equador quer acabar o acordo de asilo e tem sido pressionado nesse sentido. O governo de Quito diz que está a cumprir o direito internacional mas sublinha que a situação "não pode ser estendida indefinidamente".

Assange refugiou-se na embaixada de Londres no equador em 2012 para evitar a extradição para a Suécia, e responder numa investigação de agressão sexual. A investigação foi descartada mas Assange teme agora a extradição para os Estados Unidos, onde promotores federais investigam o WikiLeaks.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.