Última hora

Estratégia dos bombeiros salvou estrutura de Notre-Dame

Estratégia dos bombeiros salvou estrutura de Notre-Dame
Direitos de autor
Christophe Petit Tesson/Pool via REUTERS
Tamanho do texto Aa Aa

Sobreviveu a quase nove séculos de tumultos, guerras e revoluções. E, como tal, recorda-se em França, não será este incêndio a abalar a essência de Notre-Dame. Pelo menos, não a atestar pela sobrevivência da estrutura do monumento, das torres principais, do órgão do século 18 e de outros tesouros em torno dos quais não havia grandes esperanças. Mas, afinal, o que aconteceu?

"O procurador da República foi muito claro: não há nenhum indício que nos faça pensar noutra pista que não a acidental. De qualquer maneira, mobilizámos cerca de 50 inspetores, estamos a passar tudo a pente fino e a verdade será apurada", declarou Christophe Castaner, ministro do Interior francês.

Foi uma batalha que durou mais de 12 horas. O trabalho dos bombeiros está a ser amplamente elogiado, sobretudo porque, no momento mais crítico, foi tomada uma decisão que mudou o curso das coisas.

"Quando chegámos, o fogo era muito intenso. A estratégia do General Gallet, responsável da Brigada dos Bombeiros Sapadores de Paris, foi a de compartimentar as chamas. Ou seja, deixámos arder uma parte das obras para salvar tudo o resto, os campanários e toda a estrutura, para que seja possível reconstruir no futuro", revelou o capitão Alexandre Jouassard, da Federação Francesa de Bombeiros.

"Tenho sentimentos contraditórios. Por um lado, como toda a gente, fiquei de coração partido. Isto é um tesouro imenso, não apenas para Paris, nem para França, mas para o mundo inteiro. Por outro, estou impressionada com a quantidade de coisas que foram salvas. Temos de agradecer aos bombeiros pelo trabalho inacreditável que fizeram", salientava a embaixadora americana em Paris, Jamie D. McCourt.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.