EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Macron desaponta opositores

Macron desaponta opositores
Direitos de autor 
De  Luis Guita
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Na sua primeira grande conferência, quinta-feira, o Presidente francês prometeu cortar impostos, mas disse que os franceses teriam que trabalhar mais. Os opositores dizem que Macron "não percebeu nada".

PUBLICIDADE

Após meses de protestos, o Presidente francês, Emmanuel Macron, na sua primeira grande conferência, em horário nobre, quinta-feira, prometeu cortar impostos, mas disse que os franceses teriam que trabalhar mais.

Os coletes amarelos estão desiludidos com Macron.

"Estou desapontada. Diria que ele não entendeu nada, ele lixou-nos e não reconhece isso," afirma uma mulher.

"O vácuo absoluto, além de meter mais lenha na fogueira, é tudo o que ele (Macron) está a fazer. Mantemos todas as ações, reuniões e tudo o que já está planeado. Infelizmente, tendo em conta os apelos às manifestações, temo que o 1.º de Maio vá ser violento, muito violento e com muita gente," considerou um homem.

Nicolas Bay, da Reunião Nacional, reagiu dizendo que após seis meses de crise social o Presidente "não percebeu nada".

Laurent Waukiez, do partido Os Republicanos, afirma que "não há nenhuma pista séria sobre o financiamento" das medidas anunciadas.

Jean-Luc Mélenchon, da França Insubmissa, considera que Macron "atiçou a crise política".

Após quase dois anos de mandato e uma digressão nacional para realizar o "grande debate", a conferência em horário nobre foi, também, um tentativa de acalmar os quase seis meses de protestos de "coletes amarelos" que semanalmente agitam o país.

Macron lamentou ter "dado" a "sensação" de ser "duro" e "injusto" com os franceses. Um pedido de desculpas que parece não ser suficiente para desmobilizar os coletes amarelos

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Presidente da França em risco de perder influência ao nível da UE

Zelensky em Paris: será que Macron vai anunciar o envio de instrutores franceses para a Ucrânia?

"Acordemos". Macron alerta para os "maus ventos" da extrema-direita em discurso na Alemanha