A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Sem maioria, PSOE vence eleições em Espanha

Sem maioria, PSOE vence eleições em Espanha
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Uma vitória clara, mas sem maioria. Se Pedro Sánchez ficou despontado por não conquistar mais deputados disfarçou bem. Tal como os apoiantes, que entre palmas e expressões de contentamento assistiram ao discurso do líder socialista.

Sánchez sublinhou que o PSOE voltou a assumir-se como o movimento político mais forte do país. Mas também apelou à unidade dos espanhóis: "O Governo socialista e eu próprio como presidente do Governo de Espanha seremos Governo e presidente para todos os espanhóis. Em segundo lugar: desde as nossas ideias de esquerda, da nossa posição progressista, vamos estender a mão a todas as formações políticas dentro da Constituição para fazer avançar a justiça social, com harmonia e integridade política."

Cristina Giner, Euronews - O Partido Socialista de Pedro Sánchez tem agora pela frente um período de negociações para formar Governo. Os analistas apontam para a necessidade de formar uma coligação de Governo e não apenas um pacto de investidura em nome da estabilidade no país. Os conservadores do Partido Popular perderam metade da base parlamentar mas o Vox, formação de extrema-direita, entra no parlamento pela primeira vez desde a transição para a democracia.

Assim que os resultados começaram a ser divulgados, Santiago Abascal, o líder da formação de extrema-direita Vox, não perdeu tempo em sublinhar o triunfo de uma nova força na política em Espanha.

Em tom de desafio, disse que o partido resistirá às políticas de esquerda: "Isto é apenas um princípio. Dissemos que iniciávamos uma reconquista e foi o que fizemos. Uma reconquista que agora tem uma voz no Congresso. Podemos dizer com toda a clareza, a toda a Espanha, que o Vox veio para ficar."

A queda do Partido Popular pode ter sido precipitada, em parte, pelos votos perdidos para o Vox. Pablo Casado prometeu rejuvenescer o partido de centro-direita, mas agora terá de renascer face à oposição.

E o PP tem outro rival de peso: Albert Rivera, que diz que o Ciudadanos vai liderar a oposição de direita no Parlamento. Aconteça o que acontecer, sem um Governo de maioria, a instabilidade política em Espanha parece estar para durar.