Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Ajuda para Moçambique é insuficiente

Ajuda para Moçambique é insuficiente
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Em pouco mais de um mês, Moçambique foi varrido por dois ciclones. Depois do Idai, foi o Kenneth a deixar um rasto de destruição e aprofundar as dificuldades sentidas no país.

A agência das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) alocou o equivalente a cerca de 11 milhões e 600 mil euros (13 milhôes de dólares) do Fundo de Emergência para ajudar Moçambique e Comores, depois do último ciclone. Deste montante, só para Moçambique vão quase 9 milhões de euros.

"Infelizmente não é suficiente. Apelamos à comunidade internacional que se chegue à frente. A agência doou 10 milhões de dólares, é um bom começo, mas não é o valor suficiente para o que é preciso fazer. Só tínhamos verba para responder a 30% das necessidades, depois do Idai, antes deste ciclone. Portanto, precisamos urgentemente de que os Estados-Membros e que a comunidade internacional façam tudo o que puderem para generosamente ajudar a população de Moçambique, que está a sofrer", alerta Gemma Connell, do gabinete regional da OCHA .

As verbas deverão ser canalizadas para o fornecimento de água e comida, bem como a reparação de infraestruturas no país.

Uma ajuda essencial que ainda não é possível quantificar com certeza, mas que, de acordo com a Organização das Nações Unidas, deverá ficar acima dos 50 milhões de euros.