A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Poucos jovens portugueses devem votar nas europeias

Poucos jovens portugueses devem votar nas europeias
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Segundo o Eurobarómetro, apenas 3% dos jovens portugueses diz ser "extremamente provável" ir votar nas próximas eleições europeias.

A Euronews foi à Faculdade de Letras da Universidade do Porto ouvir os estudantes sobre as europeias e no primeiro grupo de alunas que entrevistou, todas disseram não estarem a pensar ir às urnas no dia 26 de maio.

"Eu, no meu caso, não tenho seguido esta campanha eleitoral para as europeias e não vou votar em alguém sem saber o que é que eles propõem fazer", justifica Inês Outor, 21 anos, estudante de História, negando desinteresse em relação à União Europeia: "Acho que não é uma questão de não me interessar pela política europeia. Interesso-me mais pela política do meu país. Interessa-me mais saber o que é que está a acontecer no meu país, o que é que vai acontecer com as legislativas, e não tanto a campanha eleitoral para as europeias".

De acordo com o Eurobarómetro, Portugal é o país do bloco comunitário onde menos jovens disseram ser "extremamente provável" votar nas eleições europeias.

Apenas 17% da população portuguesa em geral parece estar certa de que vai votar a 26 de maio, a terceira percentagem mais baixa do bloco.

O professor de Comunicação Política da Universidade do Porto, Vasco Ribeiro, aponta razões para este desinteresse: "A União Europeia, ao ajudar e até no respeito por aquilo que é a independência de cada Estado-membro, acaba por canalizar as verbas primeiro para o Governo, do Governo para as autarquias ou para as instituições, e não é visível. Parece que a União Europeia não nos toca".

Nas últimas eleições europeias, a abstenção em Portugal ultrapassou os 66%.