Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Aborto: Disney ameaça parar de filmar na Geórgia

Aborto: Disney ameaça parar de filmar na Geórgia
Direitos de autor
رویترز
Tamanho do texto Aa Aa

A Disney ameaça parar de filmar no estado norte-americano da Geórgia caso a nova lei contra o aborto entre em vigor.

A sete de maio, o Governador Brian Kemp, aprovou um projeto-lei que proíbe o aborto logo que sejam detetados batimentos cardíacos no feto.

A nova legislação tem levantado controvérsias, em especial em Hollywood. Esta semana, a Netflix informou que iria repensar as operações na Geórgia, agora é a vez da Disney.

"Creio que se for lei, será muito difícil produzir lá. Duvido que o façamos. Muitas pessoas que trabalham para nós não vão querer trabalhar lá e vamos ter que atender aos seus desejos, a esse respeito. Neste momento, estamos a observar isso DCOM muita atenção. Penso que há alguma especulação de que poderia ser promulgada no início do ano. Creio que é provável, também, que seja contestada nos tribunais e isso pode atrasá-la. Estamos a ser cuidadosos e cautelosos em relação a isso, mas se for lei, não vejo como possamos continuar a filmar lá", refletiu o presidente executivo da The Walt Disney Company, Bob Iger.

O governador da Geórgia, Brian Kemp, prometeu manter-se firma: "somos chamados a ser fortes e corajosos e não recuaremos agora. Continuaremos, sempre, a lutar pela vida".

A Disney rodou, recentemente, na Geórgia filmes como "Pantera Negra" ou "Vingadores: Endgame" devido a isenções fiscais oferecidas a produções cinematográficas, que podem ir até aos 30%.

Segundo fontes estatais, citadas pela agência Reuters, no ano passado foram filmadas 455 produções cinematográficas e televisivas na Geórgia. A indústria emprega mais de 92 mil pessoas naquele estado do sul dos Estados Unidos da América.

A Geórgia é um dos oito estados a aprovar, este ano, legislação antiaborto. O objetivo é levar o Supremo Tribunal norte-americano a anular o caso histórico "Roe vs. Wade", de 1973, que estabeleceu o direito da mulher de interromper a gravidez.