Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Sete mortos e 21 desaparecidos em naufrágio no Danúbio

Sete mortos e 21 desaparecidos em naufrágio no Danúbio
Direitos de autor
REUTERS/Bernadett Szabo
Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades húngaras têm poucas esperanças de encontrar ainda com vida outros sobreviventes do naufrágio de um barco com turistas sul-coreanos no Danúbio.

A embarcação, com 35 pessoas a bordo, passava sob uma ponte a curta distância do Parlamento húngaro, em Budapeste, quando colidiu com outro barco, afundado-se rapidamente.

O último balanço oficial aponta para sete mortos confirmados, todos de nacionalidade sul-coreana, e sete pessoas resgatadas, incluíndo os dois tripulantes húngaros. Vinte e uma pessoas estão dadas como desaparecidas.

O coronel Adrián Pál, da polícia de Budapeste, explicou que "as condições meteorológicas não facilitam as operações. O nível das águas do Danúbio está a subir e a distância que os mergulhadores conseguem ver, debaixo de água, é muito curta. E a chuva continua."

Com o avançar das horas, cada vez mais se teme o pior, como explica a jornalista da euronews, Anna Flori, que sublinha que é possível "ver como o rio está alto e a corrente é forte, junto à ponte Margaret, onde ocorreu o acidente, por isso é cada vez mais improvável encontrar alguém com vida, tantas horas depois do sucedido".

As autoridades húngaras têm estado em contacto permanente com Seul. A Coreia do Sul ofereceu toda a assistência possível, como explica o presidente Moon Jae-In, que ordenou "a utilização de todos os canais diplomáticos disponíveis para cooperar com o governo húngaro, para acelerar as operações de resgate", bem como "colaborar na investigação do acidente".

Algumas das vítimas mortais já foram identificadas e a polícia húngara abrir um inquérito criminal para tentar apurar as causas e circunstâncias exatas da colisão.

Este naufrágio é já um dos mais graves no país. O último registado no Danúbio aconteceu em 1996, perto de Viena, e saldou-se na morte de oito pessoas, que viajavam num barco de bandeira eslovaca.