Centenas de detidos nas presidenciais do Cazaquistão

Centenas de detidos nas presidenciais do Cazaquistão
Direitos de autor REUTERS/Pavel Mikheyev
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O governo diz serem radicais que organizaram manifestações não autorizadas em dia de eleições para se encontrar o sucessor de Nursultan Nazarbayev, que esteve 30 anos no poder e renunciou em março.

PUBLICIDADE

Um momento da democracia do Cazaquistão: 500 detidos, incluindo jornalistas.

O governo diz serem radicais que organizaram manifestações não autorizadas em dia de eleições para se encontrar o sucessor de Nursultan Nazarbayev, que esteve 30 anos no poder e renunciou em março.

Os manifestantes apelavam ao boicote a um escrutínio que consideram estar manipulado.

E com 70 % dos votos, de acordo com uma sondagem à boca das urnas, venceu o presidente interino Kassym-Jomart Tokayev, que vê assim confirmada a escolha de Nazarbayev para o suceder.

Nazarbyev sai de cena mas mantém funções chave no sistema político cazaque.

O principal rival dos homens no poder é Amirjan Kossanov, que representa o partido Ult-Tagdyry (Consciência da Nação). Ficou com 15% dos votos.

De acordo com a comissão eleitoral, a taxa de participação foi 77,4%.

Estará assim confirmada a liderança de Kassym-Jomart Tokayev, que decidiu, enquanto chefe de Estado interino, rebatizar a capital Astana pelo nome do seu predecessor, Nazarbaïev.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Encontro no Cazaquistão reúne presidentes dos parlamentos da Eurásia

"No geral, as eleições foram justas"

Eleições Presidenciais no Cazaquistão