Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Boris Johnson ausente do primeiro debate

Boris Johnson ausente do primeiro debate
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Quando os candidatos chegaram ao primeiro dos debates televisivos sobre a sucessão de Theresa May na liderança do Partido Conservador britânico (e, consequentemente, para o cargo de primeiro-ministro), já se sabia que o Brexit seria o tema principal. As discussões giraram à volta da possibilidade de renegociar o acordo com Bruxelas e da perspetiva de um Brexit sem acordo, atingido o prazo de outubro.

Entre Michael Gove, Jeremy Hunt, Sajid Javid, Dominic Raab e Rory Stewart houve no Channel 4 trocas de argumentos entre defensores de um Brexit duro e outros que se dizem unificadores, mas as atenções estiveram também muito viradas para dois ausentes: o líder do partido do Brexit, Nigel Farage e, sobretudo, aquele que é visto como favorito nesta contenda, Boris Johnson, que recusou participar neste debate e facilmente se tornou no "bombo da festa".

Jeremy Hunt (ministro dos Negócios Estrangeiros): Onde está o Boris? Se a equipa dele não o deixa debater com cinco colegas bastante amigáveis, como pode ele debater com 27 países europeus? Ele deveria estar aqui para responder a isso.

Michael Gove (ministro do Ambiente): Nigel Farage não é a face do Brexit. 17,4 milhões de pessoas votaram para deixar a União Europeia. Isso não se resume a uma pessoa. Tem a ver com todos nós... e acredito que a melhor forma de conseguir o Brexit é usar o talento de todos, no seio do Partido Conservador.

Rory Stewart (ministro do Desenvolvimento Internacional): Está a haver uma competição de machismo. Todos querem parecer os mais duros. Sempre que entro neste debate, começam todos a dizer "acreditem em mim, eu sou a pessoa certa, consigo enfrentar o impossível" e depois acusam-me de ser um derrotista, quando apenas tento ser realista.

Veja aqui o debate na íntegra

Os cinco candidatos fizeram uma série de promessas, que vão da luta contra a iliteracia à reforma da segurança social. Por muito que os cinco se esforcem por convencer a opinião pública, os analistas acreditam que é mesmo Boris Johnson que vai ficar com o lugar, desde que tenha cuidado com as gafes, que o candidato tem acumulado.

Johnson foi criticado por se esquivar ao debate, mas defendeu-se e disse que o público estava farto de discursos contraproducentes. A verdade é que o favorito vai mesmo ter de enfrentar os adversários, já que não vai faltar ao segundo debate, marcado para esta terça-feira, desta vez na BBC.