A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Hassan Rouhani: "Há atrasados mentais na Casa Branca"

Hassan Rouhani: "Há atrasados mentais na Casa Branca"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Teerão acusa Donald Trump de fechar definitivamente a porta ao diálogo com as novas sanções contra o líder supremo, o ayatollah Khamenei e o chefe da diplomacia do país.

O presidente Rouhani chama "atrasados mentais" ao líderes dos Estados Unidos.

"Nenhuma pessoa em seu perfeito juizo faria o que eles estão a fazer atualmente. Sinto que há uma grande frustração e uma grande confusão nos líderes dos EUA e na Casa Branca.

Eles sofrem de deficiência mental . A Casa Branca está afetada por doenças mentais e não sabe o que fazer."

O conselheiro para a Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Bolton responde que é o Irão que não está a agarrar a oportunidade de diálogo deixada por Trump.

"O Presidente manteve a porta aberta para negociações reais, para eliminar completamente e comprovadamente o programa de armas nucleares do Irão, a procura do país por sistemas de lançamento de mísseis balísticos , o seu apoio ao terrorismo internacional e os seus comportamentos reprováveis pelo mundo inteiro. Tudo o que o Irão precisa de fazer é entrar por essa porta aberta."

A tensão crescente dos últimos dias preocupa todos os países da região. Em entrevista à Euronews, o ministro das Finanças do Paquistão, Mehmood Qureshi, afirmou: "O Paquistão quer ver uma saída negociada para estas tensões. Não creio que o aumento das tensões na região ajude os EUA, o Irão ou toda a região".

O Conselho de Segurança da ONU, numa declaração unânime dos 15 membros voltou a apelar ao fim da tensão no Golfo Pérsico.

As relações entre o Irão e os Estados Unidos atingiram nas últimas duas semanas um clima de escalada constante, com ataques de drônes e pingue-pongue de acusações.

Tudo começou em meados de junho com o ataque a dois petroleiros no mar de Oman. Washington acusa Teerão do ataque. O Irão lança a suspeita de uma manobra norte-americana.