A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Contagem decrescente para o G20 de Osaka

Contagem decrescente para o G20 de Osaka
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os lideres dos 20 países mais industrializados do mundo convergem para Osaka a fim de participar na cimeira do G20. As prioridades são a proteção ambiental e o comércio livre, este último tema rodeado de espinhos, face à guerra comercial entre a China e o Estados Unidos e a escalada de tensão no Golfo Pérsico.

Os encontros bilaterais têm assim de certo modo o grosso das atenções.

O governo nipónico pretende alcançar pelo menos uma declaração de intenções comum mínima.

A crise entre Teerão e Washington tem um peso importante na economia mundial, pois está ligada ao preço do petróleo e à economia global.

Distante da posição norte-americana, a Europa quer preservar o conturbado acordo sobre o programa nuclear iraniano, que os Estados Unidos vêm como a mãe de todos os males no conflito com o Irão.

"Penso em primeiro lugar que é preciso garantir que ninguém vai cometer o irreparável. Falei com o Presidente Rohani há dois dias e disse-lhe que qualquer saída do acordo nuclear de 2015 seria um erro, tal como o seria qualquer sinal nesse sentido", explicou Emmanuel Macon, presidente de França.

A cimeira desenrola-se sexta-feira e sábado e, como qualquer evento do género que acolhe duas dezenas de chefes de governo e estado dos principais países mundiais a segurança é apertada.