Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

População iraniana é alvo direto das sanções dos EUA?

População iraniana é alvo direto das sanções dos EUA?
Direitos de autor
Nazanin Tabatabaee/Nazanin Tabatabaee/West Asia News Agency via REUTERS
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O enviado especial dos Estados Unidos para o Irão, Brian Hook, afirmou esta quinta-feira que a política de máxima pressão económica sobre Teerão está a funcionar. Apesar da administração Trump insistir que o governo iraniano é o principal alvo das duras sanções, os efeitos são sentidos na pele pela população.

Uma jovem iraniana diz: "Apesar do que tem sido dito, de que as sanções visam o governo e não têm efeito no quotidiano do povo, nós sentimos o impacto. Todos os dias, muitas pessoas são empurradas para a pobreza e os seus sacos de compras diminuem."

O regime iraniano também tem tentado minimizar os efeitos das sanções norte-americanas, mas a economia do país reflete a realidade, com uma inflação crescente, fortes quedas nas importações e exportações e uma depreciação da moeda, que se traduz também numa pressão adicional para a população.

Um professor iraniano afirma: "Aquilo que vimos no último ano é que os preços pelo menos duplicaram. Mas os rendimentos das pessoas não mudaram mais do que 10 ou 20 por cento e há mesmo quem tenha perdido o emprego devido às condições económicas."

E se a população fosse um alvo intencional? Muitos peritos iranianos acreditam que, apesar das declarações em sentido contrário, os Estados Unidos visam a população com o objetivo de criar um sentimento de insatisfação que poderá, eventualmente, conduzir a protestos nas ruas.

Uma opinião partilhada por Foad Izadi, professor na Universidade de Teerão:

"O objetivo das sanções é provocar a ira entre os cidadãos comuns, na esperança de que saiam à rua em protesto, para mudar o governo. Essa é a razão por trás das sanções. Por isso, quando os Estados Unidos dizem que estão a conduzir uma campanha de máxima pressão, aquilo que ouvimos é que estão interessados numa mudança de regime."

Com a escalada das tensões entre os Estados Unidos e o Irão, têm também crescido os receios de um conflito armado, apesar de ambos os lados afirmarem que não pretendem uma guerra.

Javad Montazeri, euronews: "O acordo nuclear tinha trazido esperança e alegria aos iranianos. A decisão de Trump de o abandonar levou a grandes preocupações financeiras para a população, que teme também agora a possibilidade de uma guerra, a qualquer momento."