Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Governo anuncia aumento do salário mínimo em 60%

Turistas passeiam por Havana num dos carros clássicos d cidade
Turistas passeiam por Havana num dos carros clássicos d cidade -
Direitos de autor
REUTERS/Alexandre Meneghini
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os salários vão ser aumentados na República de Cuba e o rendimento mínimo dos trabalhadores do Estado vai passar dos 250 pesos cubanos (cerca de €9) para 400 (€14), o que equivale a um incremento de 60% nos pagamentos do escalão público mais baixo.

A medida foi anunciada quinta-feira pelo Presidente da República e tem por objetivo impulsionar a economia da ilha caribenha através do aproveitamento ao máximo das capacidades internas e do potencial humano da ilha, explicou Miguel Díaz-Canel, no final de um conselho de ministros.

O aumento terá efeitos a partir de julho e, para o guia turístico Daniel Tejeda, é merecido

"É um direito e um dever que temos, todos os cidadãos cubanos: sermos aumentados. Há muito tempo que o país e todos os trabalhadores assalariados em Cuba o necessitam. Já o merecíamos, todos os onze milhões de cubanos com um salário", afirmou Tejeda, um dos trabalhadores mais afetados pela pressão externa de Donald Trump.

A economia cubana tem vindo a ser alvo de sanções impostas pelos Estados Unidos para castigar o alegado apoio de Cuba aos regimes de Nicolás Maduro na Venezuela e Daniel Ortega na Nicarágua.

As sanções estão a afetar sobretudo o turismo. Por isso, o governo de Miguel Díaz-Canel tenta agora promover a produção e o consumo internos, aumentando também o valor do salário médio dos trabalhadores dos atuais 800 pesos (€30) para 1067 (€37,5).