Última hora
This content is not available in your region

FIFA quer alargar mundial feminino de futebol

FIFA quer alargar mundial feminino de futebol
Tamanho do texto Aa Aa

Na cidade francesa de Lyon a excitação é visível a poucos dias da final do Mundial feminino de futebol prevista para domingo.

Frente a frente vão estar as equipas dos Estados Unidos e da Holanda.

Entre as jogadoras norte-americanas reina a apreensão após declarações controversas da lateral Megan Rapinoe que disse recusar-se a aceitar o tradicional convite para visitar a Casa Branca em caso de vitória.

A avançada Alex Morgan afirmou que se trata de um problema prematuro e que será a equipa a tomar a decisão final.

"Penso que vamos tomar essa decisão uma vez terminada a partida de domingo. Tem-se falado de forma prematura sobre a Casa Branca e sobre Trump mas primeiro teremos que fazer o negócio e penso que todos vocês já conhecem a resposta", disse Alex Morgan esta sexta-feira em Lyon.

O sucesso do evento já levou o presidente da FIFA, Gianni Infantino, a anunciar planos para alargar a competição das atuais 24 para 32 equipas.

Infantino descreveu o atual campeonato como o "melhor de sempre" e afirmou que havia chegado a altura de investir mais no futebol feminino.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.