Última hora
This content is not available in your region

Navio Ocean Viking começa operações de resgate no Mediterrâneo

Navio Ocean Viking começa operações de resgate no Mediterrâneo
Tamanho do texto Aa Aa

A ONG SOS Mediterranée, em colaboração com os Médicos Sem Fronteiras voltou ao mar Mediterrâneo para socorrer migrantes. O navio Ocean Viking, com bandeira norueguesa, começa as operações de procura e resgate, apesar da recusa dos portos europeus em aceitar navios humanitários.

A embarcação, com uma tripulação de mais de 30 pessoas vai percorrer a perigosa rota para os migrantes, mas sem nunca entrar em águas territoriais líbias.

Esta nova campanha começa depois da apreensão do navio Sea Watch 3 e da detenção da capitã Carola Rackete, na Sicília. Esta detenção tinha sido um aviso das autoridades italianas às embarcações humanitárias. Matteo Salvini volta a reforçar este aviso nas redes sociais.

No twitter o ministro do interior italiano disse que: "Itália não está mais disposta a aceitar todos os imigrantes que chegam à Europa. E que a França e a Alemanha não podem decidir sobre as políticas de migração ignorando as pedidos dos países mais expostos como Itália e Malta."

Reforçou a ideia no instagram dizendo que os navios das ONG não desembarcarão em Itália.

Depois de quase três anos no mar, o navio Aquarius, que resgatou, aproximadamente, 30 mil migrantes, cessou atividade em dezembro de 2018, depois de ter sido privado da bandeira de Gibraltar e posteriormente do Panamá. O Ocean Viking pretende retomar as funções do Aquarius, com a intenção de salvar vidas.

Segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados e a Organização Internacional para as Migrações, mais de 400 pessoas morreram ao tentar atravessar o Mar Mediterrâneo, desde o início de 2019.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.