A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

A despedida da primeira-ministra Theresa May

A despedida da primeira-ministra Theresa May
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Minutos antes de ir ao palácio de Buckhingam apresentar a demissão à Rainha Isabel segunda, Theresa May falou pela última vez aos britânicos enquanto primeira-ministra.

Em frente à residência oficial, o número 10 de Downing Street, May desejou boa sorte ao sucessor Boris Johnson.

"Claro que ainda há muito a fazer. A prioridade imediata é completar a nossa saída da União Europeia de uma forma que funcione para todo o Reino Unido. O sucesso nesta tarefa pode ser um novo começo para o nosso país."

Theresa May agradeceu a confiança que os britânicos depositaram nela e espera que as meninas se sintam inspiradas nas suas ambições por ter visto uma mulher primeira-ministra.

"Servir como primeira-ministra do Reino Unido é a maior honra. As grandes responsabilidades são superadas pelo enorme potencial de servir o seu país. Mas não se consegue nada sozinho. E agora que deixo Downing Street, as minhas últimas palavras são de sincero agradecimento aos meu colegas de governo e no parlamento".

De manhã, na Câmara dos Comuns, Theresa May participou numa sessão de perguntas e respostas e, apesar das divergências políticas, muitos deputados acabaram por elogiar-lhe a postura pública e o sentido de dever. May reafirmou também a intenção de voltar, em breve, ao Parlamento e de continuar a trabalhar como deputada.

"Nós estamos, como disse a senhora deputada, a viver tempos políticos extraordinários e esta Câmara dos Comuns está justamente no centro desses eventos. E isso deve-se ao vínculo vital entre os membros desta casa e as comunidades que representamos. É a base da nossa democracia parlamentar e da nossa liberdade, e cada um de nós independentemente das nossas convicções, pode orgulhar-se disso. O dever de servir a minha comunidade continuará a ser a minha maior motivação.

Visivelmente emocionada, Theresa May deixou o Parlamento aplaudida de pé pela maioria da Câmara.