A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Massacre em prisão brasileira iniciado por grupo ligado ao PCC

Massacre em prisão brasileira iniciado por grupo ligado ao PCC
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

De cara tapada e facas improvisadas na mão - foi assim que se iniciou o massacre na prisão de Altamira, no Estado brasileiro do Pará. Vários presos invadiram um bloco onde se encontravam membros de uma fação rival.

O balanço aponta para 57 mortos. Dezasseis deles foram decapitados.

"O que pudemos apurar foi um local macabro. Houve decapitações, houve pessoas mortas por asfixia pela fumaça", declarava Evander Fontenele, da Comissão dos Direitos Humanos do Pará.

O ataque foi desencadeado por um grupo aliado do PCC - Primeiro Comando da Capital -, a famigerada organização criminosa de São Paulo, contra elementos do chamado Comando Vermelho, centrado no Rio de Janeiro. Em causa estará o controlo territorial e as rotas de tráfico de droga no norte do país.

Há relatórios que denunciam a sobrelotação da prisão de Altamira, num Brasil que tem mais de 700 mil presos, quase o dobro da capacidade do sistema prisional.