A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Abatido homem que fez 37 reféns num autocarro no Brasil

Abatido homem que fez 37 reféns num autocarro no Brasil
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Terminou o sequestro dos passageiros de um autocarro na ponte que liga a cidade brasileira do Rio de Janeiro e Niterói terminou, por volta das 09:00 hora local, com a morte do suspeito, informou a Polícia Militar.

As autoridades confirmaram que o suspeito saiu do autocarro e foi baleado, às 9:04 locais, por atiradores de elite. O suspeito foi ainda assistido, sem sucesso, por médicos.

Ainda não há informações detalhadas sobre a motivação do sequestrador, mas as autoridades disseram que todos os ocupantes do veículo, incluindo o motorista, foram resgatadas sem ferimentos.

Durante as três horas de negociações o coronel Mauro Fliess, porta-voz da Polícia Militar, informou que além de uma arma de fogo, o autor do crime possuía uma arma de choque e um recepiente com gasolina.

Após o fim do sequestro, as autoridades confirmaram que a arma que estava a ser usada pelo suspeito era uma arma de brincar.

O incidente ocorreu cerca das 06:00 locais (10:00 em Lisboa) e o assaltante ter-se-á apresentado como elemento da polícia militar quando ordenou a paragem do autocarro, que seguia no sentido Niterói - Rio de Janeiro.

Durante mais de 3 horas, as operações especiais e Polícia Militar estiveram no local a tentar negocair com o homem. Durante o sequestro, seis passageiros foram libertados.

A motivação do homem é desconhecida mas a Polícia Miltiar acredtia que a ação tenha sido premeditada.

As reações nas redes sociais sobre a morte do sequestrador não tardaram a surgir. Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, deixou palavras de agradecimento ao bom trabalho da Polícia Militar. O presidente do país escreveu: "Hoje não chora a família de um inocente.".

Janaina Paschoal, professora do Departamento de Direito Penal, Medicina Forense e Criminologia da Universidade de São Paulo, publicou no Twitter que a Polícia Militar agiu "com base na lei".

Depois da operação, o governador Wilson Witzel escreveu nas redes sociais que a prioridade das autoridades foi a proteção dos reféns.

Trânsito congestionado durante 3 horas

O trânsito na ponte, uma via importante de ligação da baixada fluminense com a cidade do Rio de Janeiro, foi totalmente fechado, mas já está em parte liberado para a passagem.

O autocarro sequestrado provocou um grande constrangimento de trânsito naquele que é um dos principais acessos da cidade brasileira, sobre a baía de Guanabara, que tem já vários problemas de mobilidade.