A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Primeiros partos acima dos 45 anos são cada vez mais na UE

Primeiros partos acima dos 45 anos são cada vez mais na UE
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Portugal está fora do top-5 dos países europeus onde as mulheres dão à luz pela primeira vez acima dos 40 anos, num novo relatório do Eurostat que nos mostra o aumento do número de primeiros partos concretizados por mulheres com mais de 45 anos.

Os dados são referentes a 2017, ano em que Portugal registou uma taxa de 5,25% de primeiros partos por mulheres acima dos 40, ficando acima da média europeia de 4,07%.

Nesta tabela particular acima da fasquia dos 40 anos destacada pela Euronews, são ainda assim países do sul da Europa a liderar: Espanha (8,8%), Itália (8,6%) e Grécia (6,6%). Luxemburgo e Irlanda (ambos com 5,9%) fecham o top-5.

De registar, por curiosidade, o número de primeiros partos por mulheres acima dos 50 anos. Foram 988 em toda a União Europeia, em 2017. Mais de 300 só em Itália e pelo menos 12 em Portugal.

Reunindo os dados de mulheres acima dos 45 anos, os primeiros partos em 2017 subiram dos 0,37% de 2016 para 0,42%. Um aumento residual, mas curioso num período em que o número de primeiros partos na UE caiu.

Em relação a mulheres com menos de 20 anos, a Bulgária e a Roménia lideram largamente com mais de 12 por cento dos primeiros partos com sucesso.

Portugal surge na 12.ª posição, com 3,4%, três décimas abaixo da média europeia (3,7%).

No ano a que se referem os dados deste relatório do Eurostat, 2017, a larga maioria dos primeiros partos (92%) foram registados, como seria de esperar, por mulheres entre os 20 e os 39 anos.

Em relação à natalidade na União Europeia, o Eurostat já tinha revelado os números gerais do ano passado, com Portugal a registar a quarta pior taxa dos "28" (8,5%), acima apenas de Itália (7,3%), Espanha (7,9%) e Grécia (8,1%). Em 2017, a taxa de natalidade portuguesa tinha sido de 8,4%.

A população portuguesa também sofreu uma redução em 2018 para 10,28 milhões de habitantes, depois de ter registado uma subida na taxa de mortalidade dos 10,7% de 2017 para os 11%.

Em termos absolutos, foram registados 87 mil nascimentos e 113 mil mortes em Portugal, em 2018.