A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Venezuela revoltada com novas sanções dos Estados Unidos

Venezuela revoltada com novas sanções dos Estados Unidos
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Venezuela reagiu com revolta às novas sanções impostas por Washington que bloqueiam todos os ativos da Venezuela no país. As novas restrições representam também um novo patamar na pressão para que o presidente venezuelano Nicolas Maduro renuncie.

O Conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Bolton, disse que os Estados Unidos estão prontos a atacar qualquer país que apoie o governo de Maduro: "esta ferramenta é raramente usada pelos Estados Unidos. Foi usada com moderação nos últimos cinquenta anos. Mas o regime de Maduro agora junta-se ao clube exclusivo de países como Cuba, Irão, Síria e Coreia do Norte sujeitos a esta forma de sanções".

O ministro dos negócios estrangeiros da Venezuela acusou os Estados Unidos fala num jogo de interesses económicos.

"Sabemos que isto é tudo por causa do petróleo, todos sabemos que é por causa das riquezas da Venezuela. Sr. Donald Trump, concentre-se na sua campanha eleitoral. Concentre-se nas consequências do seu discurso de ódio supremacista e racista".
JORGE ARREAZA
Ministro dos Negócios Estrangeiros da Venezuela

O líder da Assembleia Nacional, Juan Guaido, tem o apoio dos EUA. Declarou-se presidente em janeiro deste ano, acusando Maduro de corrupção e de ter arruinado a economia venezuelana.