A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Pontevedra sem carros: menos multas, menos acidentes, menos poluição

Pontevedra sem carros: menos multas, menos acidentes, menos poluição
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Em 2016, em Pontevedra, não houve multas por excesso de velocidade nem acidentes mortais. A razão é simples. Não há praticamente carros no centro da cidade galega.

A redução das emissões de dióxido de carbono na cidade galega foi de quase 70%. Um modelo aprovado pelos habitantes."Posso ir com as crianças tranquilamente na rua sem ter medo dos carros, podem andar de bicicleta ou trotinete sem perigo", contou Noela Quintana, residente de Pontevedra.

Inicialmente, a mudança suscitou receio, mas, os comerciantes acabaram por aderir à estratégia da autarquia. "As pessoas estacionam os carros, os parques são uma alternativa dissuasora, e fazem as compras tranquilamente", referiu Mercedes Escauriaza, dona de uma loja, em Pontevedra.

Pontevedra aposta nos espaços para peões

Aposta no comércio local, menos centros comerciais

A euronews falou com o autarca de Pontevedra que já vai no sexto mandato consecutivo."Entravam, em média, 150 mil veículos, por dia, no centro da cidade. 30% dos carros nem sequer paravam na cidade. Esse tráfego foi quase todo eliminado. Havia também entre 30 e 40 % dos carros que andavam no centro à procura de estacionamento. Um tráfego que só serve para contaminar o ar e causar acidentes ou problemas e ocupar o espaço público. Deixámos somente o tráfego necessário que é muito pouco", referiu Miguel Ángel Lores, autarca de Pontevedra.

A autarquia de Pontevedra transformou 700 mil metros quadrados de estradas e parques de estacionamento, no centro da cidade, em espaços públicos que favorecem a interação humana."A recuperação do espaço público para as pessoas, foi a ideia principal, pensando na autonomia das pessoas mais frágeis, as crianças, os idosos e os deficientes. E para que houvesse vida na cidade, porque onde há carros não há vida", explicou o autarca espanhol.

Miguel Ángel Lores, autarca de Pontevedra
Mais espaços públicos para crianças, idosos e deficientes

Trânsito pacífico, menos poluição

A cidade espanhola alargou os passeios para peões e estreitou a via destinada aos veículos. O objetivo é tornar tornar o trânsito mais pacífico.

A cidade não impede os carros de circular no centro. Em caso de necessidade, basta pedir uma autorização. "Há carros privados que precisam de circular porque levam um peso ou porque vão levar ou buscar um edredon à lavandaria, uma televisão que está em reparação numa loja ou levam uma pessoa de idade", acrescentou Miguel Ángel Lores, autarca de Pontevedra.

Estudos recentes indicam que a poluição do ar não só mata como está associada a um menor desenvolvimento cognitivo. Em Portugal estima-se que, em 2015, a poluição do ar tenha causado 15 mil mortes. Quase um terço dos óbitos estão relacionados com doenças cardiovasculares mas os cardiologistas afirmam que as pessoas não estão conscientes do problema.