A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Reino Unido quer acordo comercial pós-Brexit com EUA

Reino Unido quer acordo comercial pós-Brexit com EUA
Direitos de autor
REUTERS/Yuri Gripas
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Fecha-se a janela da União Europeia, abre-se uma porta nos Estados Unidos. O chefe da diplomacia britânica encontrou-se, esta quarta-feira, com o homólogo norte-americano. Em Washington, o Reino Unido procura um aliado para depois do Brexit.

“Os Estados Unidos são nosso maior parceiro comercial bilateral. O presidente Trump deixou claro, mais uma vez, que quer um acordo de livre-comércio ambicioso com o Reino Unido. Portanto, espero que possamos alcançá-lo o quanto antes após deixarmos a União Europeia, a 31 de outubro”, afirmou o ministro britânico dos Negócios Estrangeiros Dominic Raab.

Mas nem todos fazem a mesma leitura da relação. Para o antigo secretário de Estado do Tesouro dos Estados Unidos, o Reino Unido "está desesperado e precisa com urgência de um acordo". Uma posição que vai alegadamente tornar as negociações mais difíceis entre as duas potências.

Contudo, para a administração Trump, as contrapartidas militares e económicas são já óbvias. Ao lado do ministro britânico, o secretário de Estado Mike Pompeo agradeceu ao Reino Unido "a decisão de proteger o estreito de Ormuz e a liberdade de navegação".

A ameaça iraniana une britânicos e americanos. O Golfo Pérsico tem sido palco de uma operação liderada pelos Estados Unidos, vista por muitos países europeus como uma forma de pressionar o Irão a recuar em questões nucleares.

No entanto, apesar da vontade de Donald Trump, o acordo comercial com o Reino Unido ainda terá de ser aprovado pelo Congresso, de maioria Democrata.