This content is not available in your region

Boris Johnson procura consenso em Berlim

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira
Boris Johnson procura consenso em Berlim
Direitos de autor  REUTERS/Peter Nicholls/Pool

Boris Johnson encontra-se, esta quarta-feira, com Angela Merkel em Berlim. A possibilidade de um Brexit sem acordo faz temer o pior e há mesmo, entre os deputados britânicos, quem diga que se vive uma situação de emergência e esteja disponível para regressar mais cedo de férias para uma reunião de urgência. 

Entre Bruxelas e Londres não há acordo mas o primeiro-ministro britânico acredita que ele é possível:

"Por agora os nossos amigos e parceiros estão um pouco negativistas. Mas ouvi o que Donald Tusk tinha a dizer e o sentimento é de otimismo. Acho que chegaremos lá. Há a perceção de que algo tem ser feito, neste momento não é possível conseguir o chamado 'backstop' através do parlamento", afirmou o chefe do executivo.

Terça-feira, a União Europeia rejeitou a exigência de Johnson de reabrir o acordo para o Brexit. Numa carta enviada ao presidente do Conselho Europeu Johnson procurava fazer valer as suas exigências antes de partir para Berlim e depois para Paris.

Para Donald Tusk o chefe de governo britânico não ofereceu uma alternativa realista e lembrava que é fundamental o "backstop", mecanismo de salvaguarda que obrigará o Reino Unido a cumprir muitos dos regulamentos europeus, para evitar o regresso da fronteira física entre as Irlandas, até ser alcançado um outro acordo.

A chanceler alemã também permanece firme na sua posição. Na Islândia afirmou que o acordo de saída não será reaberto.

A moeda britânica já perdeu 16 por cento do seu valor, em relação ao euro, desde o referendo de 2016 e caiu 2,26 por cento desde que Boris Johnson assumiu o cargo de primeiro-ministro, no final de julho, e começou a apontar para uma saída da União Europeia sem acordo.