A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Eleições antecipadas ou coligação à esquerda

Eleições antecipadas ou coligação à esquerda
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Partido Democrático (PD), de centro-esquerda, confirmou em privado ao Presidente italiano o que já tinha anunciado em público: Está disponível para uma aliança com o Movimento 5 Estrelas. Uma nova maioria à distância do cumprimento de cinco pontos que passam por uma adesão inequívoca ao ideal europeu, mas também por uma mudança na política de migrações e pela saída de cena de Giuseppe Conte, o primeiro-ministro cessante. No segundo dias de consultas, as atenções centram-se sobretudo no Movimento 5 Estrelas que vai dizer se está ou não disponível para aceitar a oferta de colaboração do Partido Democrático.

Nicola Zingaretti considera que "não é uma escolha fácil, por causa da herança negativa deixada pelo governo anterior e a distância política que nos separa de algumas forças, em particular do Movimento 5 Estrelas, um protagonista do governo Conte." O secretário-geral do PD falava no final da audiência com o Presidente Sérgio Mattarella.

Para os partidos de direita, o caderno de reivindicações parece ter um ponto único: eleições antecipadas. Foi a posição marcada no Palácio do Quirinal pelos Irmãos de Itália, de extrema direita, e pela Força Itália, do antigo primeiro-ministro Silvio Berlusconi. "Só há um caminho a seguir: eleições antecipadas. Foi a sugestão que dei ao Presidente. A Força Itália tem a maior confiança no Presidente e nas escolhas que considerar apropriadas," disse Berlusconi.