A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

G7: Visita surpresa do Irão

G7: Visita surpresa do Irão
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os líderes do G7 foram, este domingo, apanhados de surpresa com a chegada a Biarritz, no sudeste de França, do chefe da diplomacia iraniana.

O Presidente francês, Emmanuel Macron, reuniu-se com o ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Mohamad Javad Zarif, e, segundo fontes do Palácio do Eliseu, foi um encontro “positivo”.

A reunião ocorreu à margem da cimeira, de três dias, dos sete países mais desenvolvidos do mundo tem lugar este fim naquela cidade francesa.

A presidência gaulesa adiantou que o encontro teve como principal tema o acordo nuclear iraniano.

A questão continua a dividir os líderes europeus e os Estados Unidos da América, apesar dos esforços de Emmanuel Macron para tentar salvar o acordo nuclear iraniano, enfraquecido pela retirada dos Estados Unidos, em 2015, e pela reintrodução de sanções.

"Esta discussão sobre o Irão identificou duas linhas de força comuns: primeiro, nenhum membro do G7 quer que o Irão obtenha armas nucleares, segundo, todos os membros do G7 estão profundamente comprometidos com a estabilidade e a paz na região. Portanto, não querem tomar medidas que possam prejudicá-la", assegurou Emmanuel Macron.

Além da questão iraniana, durante a cimeira, os líderes dos sete países mais industrializados do mundo discutiram sobre os problemas ambientais, em especial, relativos aos incêndios na Amazónia, ao conflito na Síria, à situação global de segurança e às tensões comerciais, em especial entre os Estados Unidos e a China.

No sábado, o Presidente francês, Emmanuel Mácron, e o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, pediram que haja uma trégua no conflito comercial entre os dos países, devido às consequências negativas para a economia mundial

Donald Trump aproveitou o evento para estabelecer acordos bilaterais com alguns dos países presente.

No Twitter, o presidente norte-americano anunciou ter estabelecido ter sido alcançado um acordo de princípio para um "acordo comercial muito grande" com o Japão.