A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Moeda chinesa desvaloriza para níveis históricos

Moeda chinesa desvaloriza para níveis históricos
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A moeda chinesa, o yuan, atingiu o valor mais baixo dos últimos 11 anos.

A desvalorização da moeda segue-se à imposição pelos EUA na sexta-feira de mais tarifas alfandengárias sobre produtos chineses. Pequim respondeu impondo tarifas sobre produtos norte-americanos.

A guerra comercial levou os mercados mundiais a brirem em queda.

A desvalorização da moeda chinesa poderá minar a confiança dos investidores levando a uma fuga de capitais.

Esta segunda-feira o presidente norte-americano anunciou à margem da cimeira do G7 que o responsável pelas negociações do lado chinês o contactou durante a noite.

Trump anunciou que a China iria em breve regressar à mesa de negociações.

"Tenho um grande respeito pelo facto do presidente Xi e os seus representantes quererem uma resolução calma desta questão. Estou impressionado por terem exposto os factos de forma tão clara. É por isso que ele é um grande líder e representa um grande país. As conversações vão continuar", disse Trump à margem da cimeira do G7.

O ministério chinês dos negócios estrangeiros reagiu ao anúncio de Donald Trump afirmando que os EUA estão a violar o consenso alcançado em Osaka pelos dois chefes de estado. Segundo o porta-voz chinês, Geng Shuang, a abordagem norte-americana não é construtiva e está a afetar os interesses de ambos os países. O porta-voz adiantou ainda que ameaças e intimidações não funcionam com a China.