EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Trump pronto a negociar desde que Irão "se porte bem"

Trump pronto a negociar desde que Irão "se porte bem"
Direitos de autor REUTERS/Christian Hartmann/Pool
Direitos de autor REUTERS/Christian Hartmann/Pool
De  euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Donald Trump poderá reunir-se, nas próximas semanas com Hassan Rouhani para discutir um novo acordo nuclear iraniano. Este é o anseio do presidente francês, Emmanuel Macron, partilhado na cimeira de encerramento do G7 em Biarritz.

PUBLICIDADE

Emmanuel Macron acredita que poderá estar para breve um encontro entre Donald Trump e Hassan Rouhani.

Na conferência de imprensa de encerramento da cimeira do G7 em Biarritz, o presidente francês afirmou que o grupo dos sete países mais industrializados do mundo concordou que o Irão não deve obter armas nucleares e que é necessário que o país volte aos mercados mundiais.

Macron sublinhou que tanto o presidente norte-americano como o presidente iraniano se mostraram disponíveis para se sentarem a uma mesa para renegociar o acordo nuclear iraniano, que ruiu este ano após a retirada dos Estados Unidos da América.

"O que disse a Javad Zarif e o que disse, por telefone, ao Presidente Rouhani é que se ele aceitar uma reunião com o Presidente Trump, estou convencido de que é possível chegar a um acordo", afirmou Emmanuel Macron.

Donald Trump afirmou que está pronto para se reunir com Hassan Rouhani desde que estejam reunidas as condições. O presidente norte-americano denunciou, novamente, o mau acordo estabelecido em 2015 e deixou um aviso a Teerão.

"Têm de ser bons jogadores, se é que me entendem. Não podem fazer o que estavam a dizer que iam fazer, porque se fizerem isso, serão recebidos com uma força muito violenta. Então, creio que se vão portar bem".

Donald Trump mostrou-se, também, disponível retomar em breve as negociações com a China para discutir um acordo comercial. As tensões entre as duas maiores economias mundiais aumentou nos últimos meses como os dois países a adotarem medidas mutuamente penalizadoras.

Trump afirmou que o pedido partiu de Pequim.

"Penso que o Presidente Xi é um grande líder, um homem brilhante. Ele não pode perder 3 milhões de empregos num tão curto período de tempo. (...) Creio que eles querem fazer um acordo. Não tenho a certeza de que tenham escolha e eu não digo isto como uma ameaça", ressalva Trump.

A próxima cimeira do G7 ocorrerá em 2020, nos Estados Unidos. Donald Trump anunciou que pondera acolher a reunião na sua estância de Golfe em Miami, no estado da Florida. Quem já disse que não pretende estar presente é a Rússia. O Governo de Vladimir Putin fez questão de frisar que não pretende retornar às reuniões dos países mais industrializados do mundo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Trump recua na oferta de propriedade privada para cimeira do G7

"Breves de Bruxelas": Cerveja para diálogo belga, crise nuclear no Irão

Fim das sanções é condição para conversações, diz Irão