A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Hong Kong: protestos continuam apesar da proibição

Hong Kong: protestos continuam apesar da proibição
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Apesar da proibição os manifestantes pró-democracia saíram às ruas.

As marchas foram convocadas para marcar o quinto aniversário da decisão do governo da China de não aceitar eleições democráticas.

Mais uma vez, o cenário foi de caos e de extrema violência. Pedras, tijolos e cocktails molotov contra as forças de segurança que responderam com gás lacrimogéneo e canhões de água.

Antes dos confrontos, cerca de mil pessoas concentraram-se durante algumas horas junto à sede do Governo de Hong Kong.

Na estação de metro Prince Edward a polícia usou gás pimenta para dispersar a multidão e vários manifestantes foram presos.

A semana ficou marcada pela detenção de ativistas e deputados do parlamento e por ataques violentos contra uma ativista e um polícia.

A União Europeia já sublinhou a preocupação face à escalada de violência na antiga colónia britânica.