EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Sánchez lança nova proposta ao Podemos

Sánchez lança nova proposta ao Podemos
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Pedro Sánchez faz uma derradeira tentativa para evitar um regresso às urnas em Espanha. Mas já não fala em coligação.

PUBLICIDADE

A pergunta que se coloca em Espanha é: quem vai ceder? O primeiro-ministro em funções, Pedro Sánchez, apresentou um programa com mais de 300 medidas para tentar desbloquear o impasse e formar governo com o Podemos.

Sánchez avança mesmo com um "rigoroso sistema de controlo" dessas medidas, numa nova tentativa de aproximação de Pablo Iglesias. Há, portanto, propostas de criação de uma Taxa Tobin - conhecida também como Taxa Robin dos Bosques - que incide sobre as transações financeiras, bem como a subida das reformas. No entanto, questões como o independentismo catalão continuam a ser tratadas à luz da Constituição espanhola.

Pedro Sánchez diz querer resolver "as desconfianças" de Pablo Iglesias

Os socialistas dizem que não há razões objetivas para repetir as eleições de 28 de abril. O líder do PSOE ofereceu a vice-presidência e três ministérios a Iglesias, que recusou, até porque não estava prevista a pasta que este mais ambicionava, a das Finanças. Agora Sánchez garante ao Podemos "responsabilidades capitais" em "órgãos do Estado" num pacto de governo. Mas nada de coligações.

"Nos últimos meses, o PSOE propôs à Unidas Podemos várias alternativas, desde o apoio externo, a um governo de cooperação até à coligação. Perante a recusa em julho, damos como adquirido que a solução tem de ser outra, de forma a oferecer um programa estável no qual a maioria dos espanhóis se possa rever", afirma Beatriz Corredor, deputada do PSOE.

Próxima etapa determinante: negociações sobre a proposta de Sánchez esta quinta-feira. Se não houver acordo até 23 de setembro, os espanhóis regressam às urnas no dia 10 de novembro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Oposição condena acordo de Sánchez e Puigdemont sobre amnistia a separatistas catalães

PSOE chega a acordo com independentistas catalães

Manifestação do PP contra possível amnistia para separatistas catalães