EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Boris acredita "apaixonadamente" em novo acordo

Boris acredita "apaixonadamente" em novo acordo
Direitos de autor Daniel Leal-Olivas/Pool via REUTERS/File Photo
Direitos de autor Daniel Leal-Olivas/Pool via REUTERS/File Photo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Antes da primeira reunião presencial com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou acreditar "apaixonadamente" num novo acordo sobre o Brexit com Bruxelas.

PUBLICIDADE

Boris Johnson diz que acredita "apaixonadamente" que pode conseguir um novo acordo sobre o Brexit com Bruxelas.

A afirmação do primeiro-ministro britânico foi feita antes da primeira reunião presencial com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, esta segunda-feira.

Entretanto, o ex-primeiro-ministro britânico, David Cameron, chamou Johnson de mentiroso, que apenas apoiou a campanha de saída para ganhar protagonismo.

Nas memórias recém-publicadas, Cameron diz que o líder conservador é um embaixador da era do populismo que distorce a verdade. Também sugere que Johnson realizou uma campanha racista, concentrando-se na possibilidade de a Turquia ingressar na União Europeia.

No atual drama do Brexit, os Liberais Democratas endureceram a postura anti-Brexit, adotando formalmente uma política para cancelar a saída da União Europeia se ganharem as eleições nacionais.

``"Um governo de maioria liberal-democrata revogará o Artigo 50. Colocaremos um fim ali e depois ao pesadelo do Brexit que está a arrastar o país inteiro para baixo e a dividir-nos. E começaremos a enfrentar imediatamente as razões pelas quais as pessoas votaram pela saída," afirmou o deputado liberal-democrata, porta-voz do partido sobre o Brexit, Tom Brake.

Esta semana, o Supremo Tribunal do Reino Unido também avaliará se o decreto de Johnson de suspender o Parlamento por cinco semanas é legal ou não.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Johnson recusa revelar detalhes de novas propostas

Afinal, Nigel Farage vai concorrer às eleições no Reino Unido

Unionistas terminam bloqueio: parlamento da Irlanda do Norte pode retomar atividade no fim de semana