A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

João Lourenço defende "reforma profunda" da ONU

João Lourenço defende "reforma profunda" da ONU
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Um Conselho de Segurança mais abrangente. A ideia foi defendida por João Lourenço, em Nova Iorque. Na Assembleia-Geral das Nações Unidas, o presidente de Angola defendeu uma "reforma profunda" da Organização das Nações Unidas (ONU).

"Reiteramos a necessidade de alargar os membros permanentes do Conselho de Segurança para contemplar África e a América do Sul, pelo facto de a atual composição que colocou as potências vencedoras da Segunda Guerra Mundial já não refletir a necessidade de um mais justo equilíbrio geoestratégico mundial", afirmou o presidente angolano, durante o discurso.

Durante a intervenção, João Lourenço destacou ainda que "Angola está aberta ao investimento estrangeiro", tendo posto em marcha um "processo de privatização cerca de centena e meia de empresas e ativos públicos de diferentes setores da economia, incluindo o petrolífero".

A abertura ao capital privado vem, nas palavras do presidente de Angola, acompanhada de transparência, proporcionada pelo combate à corrupção e uma aposta no desenvolvimento do país.

Depois do discurso na Assembleia-Geral, João Lourenço reuniu-se ainda com representantes da Fundação Bill e Melinda Gates e teve uma reunião bilateral com o Togo e África do Sul.