Última hora

João Lourenço defende "reforma profunda" da ONU

João Lourenço defende "reforma profunda" da ONU
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Um Conselho de Segurança mais abrangente. A ideia foi defendida por João Lourenço, em Nova Iorque. Na Assembleia-Geral das Nações Unidas, o presidente de Angola defendeu uma "reforma profunda" da Organização das Nações Unidas (ONU).

"Reiteramos a necessidade de alargar os membros permanentes do Conselho de Segurança para contemplar África e a América do Sul, pelo facto de a atual composição que colocou as potências vencedoras da Segunda Guerra Mundial já não refletir a necessidade de um mais justo equilíbrio geoestratégico mundial", afirmou o presidente angolano, durante o discurso.

Durante a intervenção, João Lourenço destacou ainda que "Angola está aberta ao investimento estrangeiro", tendo posto em marcha um "processo de privatização cerca de centena e meia de empresas e ativos públicos de diferentes setores da economia, incluindo o petrolífero".

A abertura ao capital privado vem, nas palavras do presidente de Angola, acompanhada de transparência, proporcionada pelo combate à corrupção e uma aposta no desenvolvimento do país.

Depois do discurso na Assembleia-Geral, João Lourenço reuniu-se ainda com representantes da Fundação Bill e Melinda Gates e teve uma reunião bilateral com o Togo e África do Sul.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.