A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Estudantes regressam às ruas para mais protestos

Estudantes regressam às ruas para mais protestos
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

É sexta-feira e por todo o mundo multiplicam-se os protestos contra as alterações climáticas.

Da Nova Zelândia, à Coreia do Sul, milhares de estudantes regressaram às ruas para exigirem medidas de combate ao aquecimento global.

Tal como na semana passada, mais protestos estão previstos por toda a Europa.

Para esta ativista italiana, cabe às instituições europeias ajudarem os países e cidadãos a mudarem a situação. Federica Gasbarro afirma que se trata da batalha da sua geração pois, se não se fizer nada não vai haver futuro. Há que passar da ambição à ação, afirma.

"As instituições europeias precisam de ajudar todos os países, todas as pessoas, todos os cidadãos a mudarem a situação. Isto é a batalha da nossa geração, se não agimos agora não vamos ter um futuro. Temos que passar da ambição à ação, isto é a solução", afirma Federica Gasbarro da organização "Friday for Future" em Itália.

Na sexta-feira passada, estima-se que mais de quatro milhões de pessoas, entre elas muitos estudantes, participaram na greve mundial em prol do meio ambiente.