A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Moção de censura a Boris Johnson ganha força

Moção de censura a Boris Johnson ganha força
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As principais forças da oposição no Reino Unido estão a estudar a possibilidade de apresentar uma moção de censura contra o primeiro-ministro Boris Johnson já na próxima semana. Um cenário que pode colocar Jeremy Corbyn como primeiro-ministro interino.

Apesar do nome do líder do Partido Trabalhista ter sido já validado pelo Partido Nacionalista Escocês, nem os Liberal-Democratas, nem os Conservadores que se opõem ao Brexit, essenciais para o sucesso da moção de censura, veem com bons olhos a opção e preferem um candidato mais consensual para liderar um executivo provisório.

Entre a oposição existe o receio que Boris Jonhson esteja à procura de uma escapatória legal para não cumprir a lei aprovada há algumas semanas na Câmara dos Comuns, que o impede de sair da União Europeia sem acordo e na prática o obriga a negociar com Bruxelas, algo que o primeiro-ministro britânico não parece disposto a fazer.

No regresso da Câmara dos Comuns após a justiça ter anulado a suspensão imposta por Boris Johnson, o chefe do executivo desafiou a oposição a apresentar uma moção de censura para provocar eleições antecipadas. Jeremy Corbyn recusou, justificando com a necessidade de garantir primeiro um adiamento da data limite para o Brexit, mas pode muito bem vir a ser obrigado a aceitar o desafio brevemente.