A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Puigdemont participa em protesto catalão em Bruxelas

Puigdemont participa em protesto catalão em Bruxelas
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Sob o lema "não roubem os nossos votos", há catalães que se manifestam, a cada terça-feira, em Bruxelas. Carles Puigdemont, ex-presidente do governo autónomo da Catalunha, apareceu no dia que coincide com o segundo aniversário do referendo para a independência daquela região espanhola, nunca aceite pelo governo de Madrid.

Exilado e procurado pela justiça, Carles Puigdemont está impedido de assumir o cargo de eurodeputado para o qual foi eleito, em maio passado.

"Hoje é um dia importante para recordar o que fizemos há dois anos, quando mais de dois milhões de pessoas saíram às ruas para votar no referendo. E, também, coincide com o momento em que mais de dois milhões de pessoas permanecem sem representação no Parlamento Europeu ", disse aos jornalistas.

O Supremo Tribunal de Justiça espanhol decidiu retirar os mandados de detenção europeus emitidos contra este político depois de um um tribunal alemão ter recusado a extradição. O partido espanhol Ciudadanos, que elegeu eurodeputados, exige a reforma desse procedimento europeu.

"O facto de Puigdemont estar à porta do Parlamento Europeu e não na prisão é um problema europeu. É um problema para a democracia europeia que estamos a tentar corrigir", afirmou Jordi Cañas, eurodeputado liberal espanhol.

O candidato para a pasta da Justiça na futura Comissão Europeia, Didier Reynders (Bélgica), diz que está disposto a abrir a discussão sobre o mandado de detenção europeu, algo difícil de fazer de forma consensual entre os países da União Europeia.