Última hora

Patrulhas protegem vinhas na vindima

Patrulhas protegem vinhas na vindima
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Diz o povo que "tão ladrão é o que vai às uvas como aquele que fica a ver". Por isso, os viticultores da Borgonha, em França, têm uma ajuda suplementar, nesta época de vindimas. A Gendarmerie (força policial equivalente à GNR, em Portugal) patrulha as vinhas para evitar que os amigos do alheio roubem cachos de uvas. Mesmo se estes furtos podem parecer inocentes, a verdade é que são um rombo nas contas destes produtores: "É importante ter esta segurança, não só de dia como de noite, porque é muito fácil vir aqui vindimar, os roubos são muito frequentes. Não roubam tudo, mas levam dois ou três cachos a cada dois ou três pés de vinha, e é difícil apercebermo-nos", conta Vincent Gros, viticultor.

Vosne-Romanée é uma das localidades da Borgonha onde os gendarmes patrulham as vinhas. As operações incidem, sobretudo, sobre aquelas onde se produzem os vinhos mais valiosos.

"Os viticultores estão contentes por nos verem. Veem-nos ao longe, acenam, discutem connosco. Se calhar, o facto de estarmos de camuflado e não com a farda azul de gendarmes também ajuda. Veem-nos de forma diferente", explica Manuel Fernandes, chefe da unidade responsável pelo patrulhamento das vinhas.

Ao contrário do que se pode pensar, a maior parte dos roubos não vêm de delinquentes comuns à procura de fruta grátis, mas de viticultores rivais a quem o gelo destruiu as colheitas. A onda de roubos de 2016 fez com que as forças policiais tenham posto em marcha este dispositivo.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.