Merkel e Macron temem ressurgimento do daesh com ofensiva turca

Merkel e Macron temem ressurgimento do daesh com ofensiva turca
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os dois líderes estiveram reunidos numa cimeira franco-alemã em Toulouse, na França

PUBLICIDADE

Sorrisos de uma parceria de décadas. França e Alemanha 'estiveram juntas' numa cimeira em Toulouse, na França.

O encontro franco-alemão faz-se anualmente há mais de vinte anos. No fim, Emmanuel Macron e Angela Merkel falaram aos jornalistas e, entre um discurso sobre a economia da Airbus - empresa com sede na cidade escolhida para esta cimeira - os líderes foram questionados sobre a ofensiva turca em territorio sírio.

A chanceler alemã condenou a ação militar. Angela Merkel admitiu que a operação "deve ser interrompida", porque "pode pôr em causa o trabalho que tem sido feito na luta contra o daesh.".

Às mesmas perguntas, o presidente francês respondeu com a urgência do fim da operação militar e reforçou os perigos que esta guerra poderá trazer. 

"Se eles escaparem e decidirem lutar novamente, teremos de assumir a nossa responsabilidade como coligação internacional de impedir qualquer tentativa de ressurgimento do daesh.", disse Emmanuel Macron. "É muito claro, é algo que pode acontecer no quadro de uma guerra em curso contra o Daesh na região, porque o Daesh é o nosso inimigo. Se tivermos combatentes estrangeiros que escapam e voltam a lutar pelo Daesh, serão combatidos como são desde a início." concluiu o presidente francês. 

A Macron e à chanceler alemã juntou-se para o jantar a presidente indigitada da Comissão Europeia. Ursula von der Leyen, antiga ministra de Angela Merkel. Um jantar de trabalho e de preparação para a cimeira de chefes de Estado e de governo do bloco europeu., a qual acontece esta quinta-feira.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Comunidade internacional celebra com prudência morte do líder do Daesh

Síria envia exército para apoiar rebeldes curdos

Os centros de preparação para os Jogos Olímpicos Paris 2024