EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Líbano: décimo dia de protestos marcado por confrontos violentos

Líbano: décimo dia de protestos marcado por confrontos violentos
Direitos de autor Reuters
Direitos de autor Reuters
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os manifestantes, que querem a renúncia do Governo, bloquearam várias vias de comunicação e houve confrontos com o exército.

PUBLICIDADE

O braço de ferro entre as ruas e o poder continuou, este sábado, no Líbano.

No décimo dia de uma onda de protestos sem precedentes contra políticos considerados incompetentes e corruptos, foram registados conflitos violentos entre manifestantes e soldados em Trípoli.

Num bloqueio de estrada, o exército diz que disparou tiros para o ar, várias pessoas ficaram feridas.

"Exigimos uma investigação sobre todos os soldados que dispararam contra os manifestantes, pessoas pobres. São pobres porque estão com fome. Estamos a passar fome. As pessoas estão a morrer, não aguentam mais. Exigimos uma investigação transparente com o chefe do exército," afirma um manifestante.

O Líbano enfrenta um colapso económico nunca visto desde a guerra civil de 1975-90.

Como parte da onda de protestos que exige a renúncia do Governo, os manifestantes bloquearam várias vias de comunicação, inclusive no centro de Beirute.

"As ruas são o único meio de pressão que o povo tem. Não vamos sair das ruas até que as nossas exigências tenham resposta. O número de pessoas pode diminuir mas depois vai aumentar. Não é fácil a revolução ter sucesso no Líbano. Sejamos realistas, é muito difícil," revela um manifestante.

Os protestos já provocam ecos em Inglaterra. Centenas de manifestantes reuniram-se em frente da embaixada libanesa em Londres para demonstrar apoio àqueles que protestam nas ruas do país dos cedros.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Carro de ministro libanês atingido por disparos

Três anos após explosão no porto de Beirute, ainda não há responsáveis

Manifestantes protestam contra desvalorização da moeda libanesa